ARAGUAÍNA- Araguaína tem um assassinato a cada dois dias, desde o começo do ano de 2018.

DIVULGAÇÃO  1°  P/  USUÁRIO. “

Araguaína tem um assassinato a cada dois dias desde o começo do ano
Segunda maior cidade do Tocantins teve cinco mortes violentas nos primeiros onze dias de 2018. Moradores também reclamam de muitos assaltos e insegurança nas ruas.


NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO;  no dia 14/01/18  às 15:h13min por SEGURANÇA PRIVADA Jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS  ) compartilhe. “

 

Número de assassinatos cresce no começo de 2018 em Araguaína

Araguaína teve uma morte violenta a cada dois dias desde o começo de 2018. A segunda maior cidade do Tocantins, onde moram cerca de 150 mil pessoas, registrou cinco assassinatos nos primeiros onze dias de 2018. O número é mais que o dobro registrado no mesmo período de 2017. Além do crescimento no número de assassinatos, os moradores também reclamam de assaltos e de insegurança nas ruas.

“Os caras pararam do lado do meu amigo, ‘passa a moto! Passa a moto!’. Aí o meu amigo saiu, correu com a moto. Aí eles desceram [E disseram] ‘então passa tu, loirinha. O celular!'”, conta a jovem Agata Luiza Costa, uma das vítimas da violência.

“Passou um tempo sem a gente ficar sabendo de vários casos de violência, de mortes, assassinatos, mas aí quando volta, volta tudo de uma vez”, comenta o autônomo David Nogueira.

Araguaína é a segunda maior cidade do Tocantins (Foto: Sydney Neto/TV Anhanguera TO)
O primeiro caso foi no dia 2 de janeiro, quando um jovem de 21 anos morreu no hospital após ser atingido por quatro tiros. No dia 5 outro jovem de 20 anos foi morto no setor Lago Azul, ele levou dois tiros. No dia 9 de janeiro houve duas mortes no mesmo dia, uma no setor Monte Sinai contra um adolescente de 17 anos. A segunda vítima tinha 20 anos e era um preso de regime semiaberto. O quinto assassinato foi no dia 11, no setor oeste. O motociclista foi perseguido por homens em um carro e baleado.

A promessa do governo do estado é que haverá mais policiamento assim que os aprovados no concurso da Polícia Militar foram para as ruas, mas a previsão para que eles estejam prontos é apenas para o final do ano.