BRASÍLIA- DF.” Banditismo de Bolsonaro tem até certificado do COAF’, diz pesquisador da UFPR

DIVULGAÇÃO  1°  P/  USUÁRIO.”

Banditismo de Bolsonaro tem até certificado do COAF’, diz pesquisador da UFPR.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO;  No dia  10/12/18  às  07:h24min por SEGURANÇA PRIVADA jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS  ) compartilhe.”

O professor Ricardo Costa de Oliveira, pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), afirmou neste domingo (9) que o comprovado banditismo de Bolsonaro vem até certificado pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).


LEIA TAMBÉM

Moro faz silêncio sobre escândalo de Bolsonaro; políticos cobram posição

Estudioso das relações familiares com o poder, o professor de sociologia comanda na tradicional UFPR uma equipe de pesquisa denominada “República do Nepotismo”.

A seguir, leia a íntegra da manifestação do pesquisador sobre o caso Bolsonaro:

Alguns pensavam que o primeiro grave escândalo de corrupção da família Bolsonaro aconteceria em seis meses, outros depois do primeiro ano, todavia a fragilidade da “famiglia” é tão grande que o escândalo do motorista, seus familiares, a primeira-dama e o COAF já desmascaram a corrupção antes mesmo de assumirem a presidência.

Se antes quem votou no cujo era apenas um indivíduo disfuncional, ignorante, reacionário e parvo, agora a comprovação de crime, plenamente documentado, registrado e comprovado com cheques, movimentações financeiras e esquemas de quadrilha legislativa, a tal “bala de prata” que nunca foi encontrada depois de anos de incessantes buscas contra Lula e Dilma, depois de décadas de lawfare, tudo agrega e indica a qualidade de “banditismo comprovado e certificado pelo COAF”.

Certamente as instituições do sistema judicial brasileiro sempre protegem e blindam seus apaniguados em função do pedigree, da genealogia familiar, dos interesses das cumplicidades em comum, o que é prática no mundo da corrupção política brasileira em que “homens bons”, ou seus sócios e protegidos jamais são processados ou presos, mas quebrou-se a última fronteira da ilusão do “mito da extrema direita incorruptível”, com fartas evidências e documentações comprobatórias de irregularidades e crimes.

A noiva vai entrar completamente esfarrapada e aviltada na cerimônia de casamento e o lema hidrófobo do “bandido bom é bandido morto” é o espelho da realidade para um governo que já nasce politicamente e eticamente natimorto.