BRASÍLIA- DF.” Vigilantes terceirizados do GDF reclamam de salários atrasados.

DIVULGAÇÃO P/ USUÁRIO.”

Vigilantes terceirizados do GDF reclamam de salários atrasados
Segundo sindicato, 536 funcionários que atuam na Secretaria de Fazenda e na Secretaria de Educação estão há seis dias sem receber.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; No dia 18/03/19 às 17:h55min por SEGURANÇA PRIVADA jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS ) compartilhe.”

Michael Melo/Metrópoles.

DISTRITO FEDERAL
Vigilantes terceirizados do GDF reclamam de salários atrasados
Segundo sindicato, 536 funcionários que atuam na Secretaria de Fazenda e na Secretaria de Educação estão há seis dias sem receber.

O Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF) afirma que os salários de 536 funcionários terceirizados que atuam na Secretaria de Fazenda, Orçamento, Planejamento e Gestão (SEFP-DF) e na Secretaria de Educação (SEE-DF) completaram seis dias de atraso nesta quinta-feira (14/3). A entidade diz ter prestado uma queixa formal ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e à Superintendência Regional do Trabalho no DF sobre o fato.

PUBLICIDADE..

Os trabalhadores prestam serviço para a Confederal Vigilância e Transporte de Valores LTDA, em Taguatinga e Samambaia. “Eu entrei em contato com os diretores e eles alegaram não ter pago porque não tiveram repasse do GDF. Ora, eles assinaram um contrato que os obriga a ter capital de giro para pagar, mesmo nesses casos”, disse Gilmar Rodrigues, diretor de Comunicação do Sindesv-DF.

PUBLICIDADE

Mais sobre o assunto
“Dublê de deputado”, diz Chico Vigilante sobre Robério Negreiros
Acesso a unidades do Detran-DF estão desprotegidas, denuncia sindicato
“Redução de contratos é certeza de demissões”, diz Chico Vigilante
Por sua vez, o secretário de Fazenda, André Clemente, negou falta de pagamento por parte do Executivo e destacou que a pasta é “o órgão central de planejamento e paga quando demandada pelas secretarias”. A assessoria da Educação informou que “todos os pagamentos de contratos com empresas terceirizadas que prestam serviços para a SEE-DF estão em dia”.

Na manhã desta quinta-feira, funcionários da Confederal, que preferiram não se identificar, também acionaram o Metrópoles para reclamar da falta de pagamento. A empresa foi procurada pela reportagem, mas não havia se manifestado até a publicação desta reportagem.