GURUPI- delegado de Gurupi diz que as vítimas assassinados tinham envolvimento com drogas.

DIVULGAÇÃO  1°  P/  USUÁRIO.”

Delegado diz que vítimas de crimes em Gurupi têm envolvimento com tráfico de drogas
Esta semana foram quatro assassinatos e duas tentativas de homicídio. Segundo polícia, só nos meses de novembro e dezembro de 2017, 25 pessoas foram assassinadas na cidade.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO;  no dia 19/01/18  às 09:h41min por SEGURANÇA PRIVADA Jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS  ) compartilhe. “

As quatros vítimas de assassinatos e as duas tentativas de homicídio em Gurupi, no sul do estado, teria envolvimento com o tráfico de drogas, segundo o delegado responsável pelos casos, Helio Domingos. Os crimes aconteceram entre a noite de terça-feira (16) e a madrugada de quarta-feira (17).

“Todas as vítimas têm envolvimento direto ou indereto com o tráfico de drogas. Algumas delas tinhas dívidas não pagas com traficantes e ficou determinado que essa seria a razão de terem sido executadas”, afirma.

A Polícia Civil disse que já começou a ouvir testemunhas e parentes das vítimas. Até o momento nenhum suspeito foi identificado.

“A autoria ainda é desconhecida. Nós trabalhamos com alguns elementos coletados nas cenas dos crimes que foram submetidos a perícia. Nós precisamos dos resultados desses laudos para dar continuidade”, diz o delegado Helio Domingos, responsável pelo caso.

Segundo a polícia, no fim do ano passado, só nos meses de novembro e dezembro, 25 pessoas foram assassinadas em Gurupi.

Além dos últimos seis crimes, os inquéritos dos assassinatos que aconteceram no ano passado também estão abertos. O que chama atenção da Polícia Civil é que os crimes foram praticados de forma semelhante.

Uma das vítimas, um homem que foi morto a tiros, acabou enterrado como indigente após ninguém aparecer para identificá-lo. O Instituto Médico Legal informou que a vítima parece ter entre 25 e 35 anos.

Normalmente, o corpo ficaria no IML por pelo menos cinco dias esperando identificação, mas como a câmara fria do local passa por uma manutenção, se acordo com a Secretaria de Segurança Pública, isso não foi possível. O IML recolheu amostras de material genético e fez fotografias caso alguém apareça procurando por parentes desaparecidos que se encaixem na descrição da vítima.

Assassinatos
O primeiro caso ocorreu por volta das 23h41 desta terça-feira (16), na rua B, setor Vila Íris. No local, a Polícia Militar encontrou Thais Fernandes Lima, de 17 anos, caída ao chão. Ela tinha marca de um tiro na clavícula. Testemunhas disseram aos policiais que ela foi morta por dois homens que estavam em uma motocicleta.

O segundo caso foi registrado às 1h41 desta quarta-feira (17), na avenida das Acácias, no setor Parque das Acácias. Conforme a PM, um testemunha contou que estava dentro de casa quando ouviu um disparo de arma de fogo e o barulho de uma motocicleta. Ao sair para ver o que tinha acontecido, econtrou o seu enteado, Welton Pereira Pinto, de 31 anos, caído na calçada, com um tiro. O IML esteve no local e retirou o corpo. O lugar foi isolado para a realização da perícia.

O terceiro caso aconteceu às 3h12, na avenida Dueré, setor Pedroso. A polícia chegou ao local após uma denúncia anônima. A testemunha informou que ouviu um tiro e ao chegar no local encontrou a vítima, Ofélio do Santos Pereira, de 51 anos, já sem vida.

A quarta morte foi às 4h12, na rua 21, setor União V. A vítima também foi encontrada caída no chão. Ela morreu após ter sido baleada e não tinha nenhum documento para identificação. A testemunha que passava pelo local disse à polícia que não a conhecia.

Tentativas de homicídio
O primeiro caso foi registrado às 00h10, desta quarta-feira (17), na rua Erlaksson Leitão Brito. Uma mulher de 36 anos foi baleada quando estava em um bar. Testemunhas disseram que dois homens chegaram ao local e perguntaram quem era Rosa. A mulher se identificou e foi baleada no ombro.

Os suspeitos fugiram em uma motocicleta. Rosilene do Nascimento foi socorrida pelo Samu e levada para o Hospital Regional da cidade.

A segunda tentativa ocorreu por volta das 00h40 na rua 20, no setor Vila Nova. No local a PM encontrou a Luan Augusto Costa, de 24 anos, que disse que estava dirigindo quando dois suspeitos em uma motocicleta apontaram uma arma e ordenaram que ele parasse o veículo.

Eles mandaram ele descer do carro e ir embora correndo. A vítima obedeceu e foi baleada, caindo no chão. Quando recuperou a consciência, os suspeitos haviam fugido do local. Ele voltou ao veículo e foi até o hospital.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que Luan Augusto Costa foi atendido no regional e já teve alta. Quanto a paciente Rosilene do Nascimento, a secretaria disse que ela está sob os cuidados da equipe multidisciplinar do HRG e o estado de saúde é estável.

Violência em Gurupi
Em dezembro do ano passado, uma série de assassinatos ocorridos em menos de uma semana em Gurupi, no sul do estado, estava sendo investigada como disputa de grupos rivais da cidade. A informação é do delegado Hélio Domingos de Assis Alves, da delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo ele, essa linha de investigação vale para os casos com características de execução.

Exemplos frequentes são aqueles em que as vítimas são abordadas por pessoas em motocicletas. “Para todas essas mortes já foram instaurados os procedimentos administrativos e estamos investigando os casos, que em sua maioria tem envolvimento com o tráfico de drogas”, afirmou o delegado.