POLÍTICA-GERAL; O segundo depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sérgio moro, Lula Pergunta ao juiz se Terá algum juiz imparcial.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; no dia 14/09/17 às 09:h25min. Por SEGURANÇA PRIVADA Jucelino…

Lula depõe por 2 horas e, ao final, pergunta se terá um juiz imparcial; Moro diz que sim.

Em depoimento ao juiz Sergio Moro prestado nesta quarta-feira (13) em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perguntou se ele “seria julgado por um juiz imparcial”. Em resposta, segundo Moro afirmou: “Não cabe ao senhor fazer esse tipo de pergunta para mim. Mas de todo modo, sim”.

Lula fez o questionamento ao final no depoimento. “Vou terminar fazendo uma pergunta para o senhor, doutor. Eu vou chegar em casa amanhã e eu vou almoçar com oito netos e uma bisneta de seis meses que posso olhar na cara dos meus filhos e dizer que eu vim a Curitiba para prestar depoimento a um juiz imparcial?”. Após a resposta afirmativa de Moro, rebateu: “Porque não foi o procedimento na outra ação”, disse. “Eu não vou discutir a outra ação, a minha convicção foi que o senhor é culpado”, disse Moro em referência ao processo do tríplex que condenou Lula.

Com duas horas e dez minutos de duração, o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou ao fim às 16h26 desta quarta-feira (13). Foi o segundo encontro presencial entre o petista e o juiz federal Sergio Moro, que comanda os processos da Operação Lava Jato na primeira instância –a primeira audiência, em 10 de maio, levou quase cinco horas.

Lula também falou sobre o ex-ministro Palocci –“Eu não tenho raiva do Palocci. Eu tenho pena dele”– e, em determinado momento, houve uma discussão porque se referiu como “querida” à procuradora da República Isabel Groba Vieira, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. Segundo a Justiça Federal, Lula não respondeu algumas das perguntas que lhe foram feitas.

Aos procuradores, o ex-presidente afirmou que o objetivo do MPF (Ministério Público Federal) é incriminá-lo. Lula voltou a referir-se à apresentação de PowerPoint apresentada pela força-tarefa, na qual ele aparece como chefe do esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. Ele perguntou ainda por que o procurador Deltan Dallagnol estava ausente. “Aquele PowerPoint é uma mentira.”

A audiência desta quarta está ligada a suspeitas da participação de Lula em um esquema de corrupção envolvendo oito contratos entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras.


Chegada com apoio de manifestantes
Lula chegou às 13h50 ao prédio da Justiça Federal em Curitiba, passando de carro em um corredor formado por militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que o esperavam desde as 10h30. Ele desceu do automóvel, onde encontrou lideranças do PT como a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional da sigla, e caminhou poucos metros segurando uma bandeira do Brasil. Ao som de “Lula, guerreiro do povo brasileiro”, “fora, Temer” e batucadas, o ex-presidente interagiu com militantes. Depois, seguiu de carro à sede da Justiça Federal, onde a audiência marcada para 14h teve início às 14h16.

Moro chegou ao local por volta das 10h, em uma caminhonete escoltada por seguranças da Justiça Federal. O entorno do prédio, com forte esquema de segurança que incluiu um helicóptero, foi bloqueado pela polícia às 9h20. A previsão era de que o bloqueio começasse às 6h30, mas a Secretaria de Segurança Pública do Paraná avaliou que o clima será mais tranquilo do que em maio.