SEGURANÇA PRIVADA- O vigilante Fiel da empresa de carro-forte foi preso suspeito de participação no assalto de 410 mil reais.

DIVULGAÇÃO 1° P/ USUÁRIO.”

Vigilante é suspeito de participar de assalto a carro-forte na RMR
Vigilante que transportava malotes de dinheiro teria participado de um assalto que resultou no roubo de R$ 410 mil. Dois clientes foram baleados na ação.”

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; No dia 31/05/19 às 09:h12min por SEGURANÇA PRIVADA jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS ) compartilhe.”

Um vigilante de 33 anos foi preso suspeito de envolvimento em um assalto a um carro-forte em Abreu e Lima, no Grande Recife. De acordo com a Polícia Civil, Severino Rubem da Silva, trabalhava em uma empresa de segurança como guarda fiel, o responsável por transportar os malotes de dinheiro. A ação da manhã do dia 29 de março, em frente a uma Caixa Econômica Federal, que resultou no roubo de R$ 410 mil e deixou dois clientes feridos.  A Polícia Civil detalhou a prisão, que aconteceu nesta semana, em uma coletiva de imprensa nessa quarta-feira (29).

FOTOS E VÍDEOS COMPLETO ( Jucelino).”

Veja Neste vídeo” todos os detalhes da prisão do vigilante fiel da empresa de carro-forte.”

A polícia chegou até o vigilante através da  prisão do suspeito de um duplo homicídio em Maranguape, Paulista, no mês de abril. Josenildo Pessoa da Silva, de 34 anos, teria confessado que teria participado de um assalto ao carro-forte em Abreu e Lima. 

Ainda segundo a polícia, Severino Rubem foi preso na casa da mãe dele em Sucupira, Jaboatão dos Guararapes, também no Grande Recife. Na delegacia, ele teria confessado o crime. O suspeito, que não tem antecedentes criminais, levou dois tiros durante o assalto e passou dois meses na UTI. Segundo Severino, os tiros foram maldade dos comparsas. Já conforme Josenildo, o grupo havia combinado os tiros, para não levantar suspeitas contra o vigilante.

Foto no momento do assalto a carro forte.”

Assalto aconteceu em Abreu e Lima
Ezequiel Quirino / TV Jornal
Outros suspeitos

Agora, a polícia espera prender os demais suspeitos. O delegado disse que estava no encalço dos outros envolvidos e que o vigilante já tinha revelado o nome de alguns comparsas.