SEGURANÇA PRIVADA- Suspeitos de assaltar bancos em três estados são presos.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; no dia 22/12/17 às 22:h04min por SEGURANÇA PRIVADA Jucelino…

Homem é preso suspeito de preparar explosivos para assaltos a bancos em três estados
Homem é suspeito de integrar grupo que agia no Tocantins, Pará e Maranhão. Outros oito integrantes da quadrilha foram presos no início desta semana.


Oito pessoas foram presas no início da semana com drogas, armas e objetos utilizados em assaltos (Foto: Divulgação)

Um novo integrante da quadrilha suspeita de assaltar bancos em três estados foi preso pela Polícia Civil. Ronan Veras dos Santos foi detido suspeito de ser o explosivista do grupo criminoso, responsável por manusear os artefatos explosivos durante as ações criminosas. Segundo a polícia, o grupo é responsável pelo furto a uma agência do Banco do Brasil em Filadélfia, em outubro deste ano.

A prisão foi em Redenção (PA), na tarde desta quinta-feira (21), em cumprimento a um mandado de prisão da operação Plunter. Outras oito pessoas foram presas pela polícia, no início desta semana, suspeitos de integrar o grupo criminoso.

Conforme as investigações, o grupo agia no Pará, Tocantins e Maranhão. Eles usavam até um táxi para transportar objetos usados em assaltos sem levantar suspeitas. O veículo foi apreendido em Araguaína. O grupo é suspeito de pelo menos dois assaltos no Tocantins: em Filadélfia e Xambioá.

Participaram da prisão de Santos agentes da Delegacia de Investigações Criminais, (DEIC), Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) e da Polícia Civil do Pará. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, até o momento foram cumpridos cinco mandados de prisão, sendo dois no estado do Pará e três em Araguaína. Além da prisão em flagrante dos outros suspeitos.

O suspeito foi transferido para o Tocantins e levado para a Casa de Prisão de Araguaína, norte do Tocantins.

Táxi utilizado por quadrilha para transportar objetos ilícitos (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Entenda
A Polícia Civil informou que foram presos: Israel Teixeira de Jesus, Luciano Francisco Veras da Silva, Kleison Reis Chagas, João Bosco Sousa Oliveira, Maik Douglas Marcel da Silva, Kayo Lucas de Araújo e Douglas Dias Araújo. Além de Caio Menezes, considerado o líder da organização.

A polícia chegou ao grupo por meio Reginaldo Sousa dos Santos, que estava sendo investigado por envolvimento no assalto a Filadélfia. Ele morreu em confronto com a polícia em novembro, em Wanderlândia.

“Israel era considerado um dos lideres do grupo, que arquitetava, levantava os possíveis alvos da quadrilha. Maik e Kleison ficavam encarregados de transportar e armazenar armas e munições na cidade”, explicou o delegado José Anchieta de Menezes Filho.