SEGURANÇA PRIVADA- Vigilante acusado de matar sargento a tiros ao ser abordado vai a júri em MT.

DIVULGAÇÃO 1° P/ USUÁRIO.”

Vigilante acusado de matar sargento a tiros ao ser abordado vai a júri em MT
Sargento foi atingido na cabeça e no peito ao abordar vigilante que dormia em carro no pátio de um mercado em construção, em 2018. Vigilante está preso desde o crime.

Por- G1 MT.”

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; No dia 04/07/19 às 11:h08min por segurança privada jucelino… ( FOTOS E VÍDEOS ) compartilhe.”

O vigilante Luiz Fernando Nunes de Souza, de 32 anos, acusado de ter atirado e matado um sargento da Polícia Militar, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, deve ir a júri às 9h desta quinta-feira (4) no Fórum de Rondonópolis.

O crime aconteceu no dia 25 de maio de 2018. O sargento Ilário Vilela Silva, de 42 anos, foi assassinado ao abordar o carro do vigilante, que dormia no interior do automóvel no pátio de um mercado em construção.

O vigia contratado pelo proprietário do estabelecimento atirou quatro vezes contra o policial que morreu no local.

O vigilante foi preso em flagrante pelo crime e está preso desde então na Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, a Mata Grande, em Rondonópolis.

À Polícia Civil ele disse que se assustou ao ser abordado pelo policial e por isso teria atirado cinco vezes.

Vigilante identificado como Luiz Fernando Nunes de Souza de 31 anos foi preso em flagrante- Foto.”

O vigilante, identificado como Luiz Fernando Nunes de Souza, de 31 anos, foi preso em flagrante — Foto: DHPP/Rondonópolis
Ele tava armado e dormia dentro de um carro quando foi abordado pelos policiais.

O sargento estava junto com o outro policial e eles faziam rondas pela cidade, quando decidiram abordar o carro.

O veículo do vigilante tinha os vidros 100% fumê e estava estacionado em local separado dos demais, o que motivou a realização da abordagem.

Marcas de sangue a onde o sargento da PM foi morto em Rondonópolis- Foto.”

Marcas de sangue onde o sargento da PM foi morto em Rondonópolis — Foto: Maycon Araújo/TVCA
Com o giroflex ligado e utilizando a lanterna, a viatura se aproximou e o comandante chamou pelo motorista, mas não teve nenhuma resposta. O sargento Vilela se aproximou do veículo pela porta traseira direita para verificar o que poderia estar no veículo.

Foi quando foi surpreendido por quatro disparos de arma, sendo que dois atingiram o sargento. O soldado Vicente que o acompanhava fez 9 disparos e pediu reforço.