SEGURANÇA PRIVADA- Vigilantes de segurança privada ameaçam com greve.

DIVULGAÇÃO 1° P/ USUÁRIO.”

Vigilantes de segurança privada ameaçam com greve.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; No dia 09/04/19 às 06:h56min por SEGURANÇA PRIVADA jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS ) compartilhe.”

O líder do Sindicato da Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil, Agricultura e Serviços Afins (SIACSA), Gilberto Lima diz que os vigilantes das empresas de segurança privada ponderam, a partir do dia 15 deste mês, iniciar uma greve geral nacional, caso não houver nenhuma resposta sobre o estudo de viabilidade financeira das empresas.

Este é um problema que já se arrasta desde do ano passado, quando entrou em vigor que os vigilantes passariam a receber um salário base de 17 mil escudos a partir de 2018, algo que não aconteceu até então e que continua a ser um problema para a classe.

A nova grelha salarial deveria entrar em vigor em 2018, isto depois da Comissão Paritária receber o aval do Governo sobre o valor que se deve aplicar/pagar para a prestação dos serviços, que até então, também não aconteceu e  os trabalhadores de segurança privada mantém-se no mesmo impasse.

Os vigilantes, os maiores interessados no processo, dizem que a sua situação vai de mal a pior e que o acordo que deveria estar a ser cumprido pois continuam a auferir um salário de miséria, devido ao não cumprimento do acordo estabelecido em 2018.

Adianta ainda que apesar da luta constante do sindicato, as empresas de segurança privada que, conforme fez saber, não estão nem um pouco interessadas em cumprir tal acordo de forma a regularizar o sector para poderem ter as condições necessárias para valorizar e pagar um salário digno aos vigilantes. Estes dizem-se  cansados de lutar e no final nada acontece. “Estamos saturados com essa situação. Portanto o que nós queremos é que haja regulação do mercado e que a grelha salarial aprovada em 2018 entre em vigor”, assegura um vigilante.

O mesmo sindicato, avançou que na semana passada entregou um pré-aviso de greve em relação aos Bombeiros da Praia, ENAPOR do Sal e ICCO em São Vicente.