SEGURANÇA PRIVADA/ Vigilantes mulheres têm se tornado numerosas em Divinópolis.

DIVULGAÇÃO 1° P/ USUÁRIO.”

Vigilantes mulheres têm se tornado numerosas em Divinópolis.

O número de vigilantes mulheres na segurança privada cresceu mais de 140% nos últimos seis anos no Brasil.

NOVA REDAÇÃO:

ATUALIZADO; No dia 19/07/19 às 23:h23min por SEGURANÇA PRIVADA jucelino… ( FOTOS e VÍDEOS ) compartilhe.”

Necessidade

O aumento se deve ao interesse de empresas por uma abordagem mais suave em situações de contato direto com o público. Portas giratórias de bancos, portarias de condomínios e prédios comerciais são alguns dos locais em que vigilantes mulheres vêm tornando-se mais presentes.

Exigência

Nestes locais o fluxo de público feminino também é muito alto, e a presença de vigilantes mulheres é exigida para eventuais abordagens. A presença delas também suaviza o aspecto ostensivo das escoltas, e diminui a chance de constrangimentos.

Em festas e eventos, o percentual de mulheres é sempre exigido.

Dados

Em São Paulo, o número de vigilantes mulheres é de aproximadamente 30.000 profissionais, cerca de 17% do total. Apesar de ainda serem minoria, elas vêm ganhando espaço rapidamente.

Confira em quais postos de trabalho as vigilantes mulheres são mais presentes:

Agências bancárias: 40%

Shoppings: 35%

Condomínios: 30%

Indústrias: 20%

Festas e eventos: 35%

Mercado no Centro-Oeste

A Escola de Vigilantes Torre Norte oferece o curso de formação de vigilantes, que é o primeiro passo para as mulheres que desejam entrar no mercado de segurança privada.

A estrutura de dois andares fica na Avenida Primeiro de Junho quase esquina com Rua Goiás, no coração da cidade.

“Fiz o curso na Torre Norte em 2014 e trabalho na área desde então. A orientação nas aulas práticas e teóricas é empolgante. Defesa pessoal, noções do Direito, o curso de tiro. É um investimento profissional para uma carreira de responsabilidade”, relata a divinopolitana Gabriela Moreira, 29 anos, vigilante patrimonial.

“Os ensinamentos que aprendi no curso de vigilante mudaram minha vida profissional e pessoal. Sou uma pessoa mais organizada e segura. A Torre Norte me proporcionou isso”, relata a vigilante Nathália Fagundes, 39 anos.

Torre Norte

Situada na Avenida Primeiro de Junho, número 284, a Torre Norte formará novas turmas de ambos os sexos para os cursos de vigilantes. Para contato, há o telefone fixo 3222 0929 e o WhatsApp 37 9 9841 4531.